SURUBIM: ‘Não quero a malícia da política em mim. Não vou ser prefeita para sujar meu nome de mulher pobre e vencedora’, anuncia Onilda Flores

Mais uma mulher entra na disputa pela prefeitura de Surubim. Além da candidata à reeleição, Ana Célia Farias(PSB), a empreendedora Onilda [Pedrosa] Flores, dirigente de associações de microempresários e que votou na socialista na eleição passada, decidiu colocar o nome como alternativa na disputa municipal do próximo ano.

Ainda sem partido, Onilda Flores, coloca a história de vida como exemplo de superação, e propõe ao eleitor uma gestão municipal diferenciada. A principal bandeira será priorizar as ações da prefeitura para os mais pobres e para os empreendedores, estimulando a geração de empregos.

A candidatura foi anunciada na página do Facebook. De acordo com a empresária, a repercussão positiva foi muito forte e a deixou surpresa. ‘Desde que postei que vou disputar a Prefeitura, meu telefone não para. É muita gente ligando, enviando mensagens e áudios me parabenizando e me estimulando ainda mais. Fiquei até surpresa. Quero ser prefeita para fazer o que sempre fiz desde os sete anos de idade: trabalhar! Eu não quero a malícia da política em mim. Não vou ser prefeita para sujar meu nome de mulher pobre vencedora’, afirma.

OPOSIÇÃO – nome novo na bolsa de apostas para prefeitura, Onilda Flores atua nas associações empresariais. Atualmente é presidente da Federação das Entidades das Micro e Pequenas Empresas, Empreendedores Individuais e Artesanatos de Pernambuco – Fampec-PE, e da Associação dos Empreendedores de Surubim – Ampec.

Na última eleição, mobilizou amigos empreendedores para a campanha de Ana Célia Farias(PSB), mas a parceria não se sustentou durante a gestão. Onida Flores afirma que não vai fazer campanha falando mal da atual prefeita, embora não se omita em avaliar como ‘derrotada’ a gestão da socialista, além de se apresentar como alternativa diferente.

“Não quero falar [da prefeita]. O povo está muito sofrido, então eu não preciso falar. Todo mundo está vendo, não está precisando mostrar os defeitos [da gestão], são demais e já está derrotada. É como se diz, ‘se você puxar a linha, desmancha o crochet todo’. E eu não vou puxar linha de ninguém. Quero mais falar de mim, da minha história de vida de mulher do povão vitoriosa. Eu não tenho rabo preso, sou loira determinada, que sabe o que faz e o que quer da vida’, afirma.

HISTÓRIA – Como boa comerciante, obviamente Onilda Flores sabe ‘vender’ bem. E de forma simples, começa a se diferenciar da atual prefeita, que faz parte de família de políticos tradicionais, se mostrando como mulher de origem simples, capaz de vencer e de fazer melhor.

‘Para mim todo mundo é capaz de tudo. Eu comecei a trabalhar aos sete anos de idade. Na infância e adolescência vendia cocada feita por minha mãe, para ajudar nas despesas, por ter um pai doente. Trabalhei no comércio de Surubim, empregada de loja, e fui feirante com banco de tecidos, o conhecido loré. Depois, fui funcionária da Prefeitura do Recife, de 1976 a 1985, convidada quando Antônio Farias foi prefeito. Naquela época, estudei datilografia e contabilidade. Prestei serviço, trabalhando no exército, como funcionária cedida pela prefeitura. Me aposentei na prefeitura do Recife e voltei para Surubim’, conta.

Em casa novamente, Onilda [ainda] Pedrosa, voltou à feira livre e ganhou das pessoas ‘um novo sobrenome’, pelos produto específico que vendia, e passou a ser muito conhecida na cidade como Onilda Flores.

‘Foi aí que surgiu a Onilda Flores, a primeira floricultura da cidade. Lá também vendia cestas com café da manhã, chá da tarde, em datas especiais e cestas de flores. Depois, a primeira loja de aluguel de roupas de noivas e eventos sociais. Em seguida, construí a galeria Onilda Flores e hoje tenho empresa de turismo e atuo no associativismo empresarial. Uma pessoa com minha história de vida, sabe o que é humilhação e o que é vencer. Então, ser prefeita é um sonho de retribuir a esta maravilhosa cidade o que a vida fez por mim, ajudando a quem é mais simples vencer’, diz.

PROPOSTA – a principal proposta da candidatura Onilda Flores é fortalecer o microempresariado local e estimular a geração de emprego e renda.

“Eu ando pela feira e as mulheres falam, ‘dona Onilda, o que se faz por emprego?’ E eu sei que, se eu ajeitar a feira e ajudar o feirante, ele vai chamar o filho dela para trabalhar com ele, entende? O empresário precisa de apoio para contratar mais gente, não de ser perseguido. Quer dizer, eu que já fui ignorada por gerente de banco vou saber dá a mão ao povão”, garante.

A ética também é bandeira de Onilda Flores. Espontânea e direta, ela expõe o patrimônio para falar sobre enriquecimento via política. “Eu tenho três casas em Surubim, um apartamento em Boa Viagem e um carro. Para quem vendeu cocada na feira, está bom demais. Sou muito grata a Deus. Para mim, ser político é amar ao próximo sem perder o caráter, é ser honesto. E Surubim tem muita gente de bem e inteligente. Minha ideia é simples, é juntar gente de bem para fazer o bem”, afirma.

A empreendedora Onida Flores disse ainda que já conversa com partidos e possíveis aliados para agregar ideias e potencializar a candidatura.

Da Redação, Alberico Cassiano. Fotos: Divulgação/Facebook.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *