SURUBIM: Duas principais obras da gestão Ana Célia Farias envolvem patrimônio da família da prefeita

Para tentar levantar a gestão e viabilizar o próprio nome na disputa pela Prefeitura de Surubim, a prefeita Ana Célia Farias(PSB) aposta em duas obras para ganhar visibilidade: a reinauguração da Maternidade Estefânia Farias e a derrubada da ‘usina dos Farias’, para construção de uma avenida. As duas ações envolvem o patrimônio da família da prefeita e o dinheiro público.

Reinaugurada recentemente, a Maternidade – agora, Policlínica Estefânia Farias, foi umas das principais bandeiras da campanha da prefeita. Passou doze anos sem parceria com o Município, durante as gestões do PT, e mais quase três anos sem funcionar na gestão da socialista.

Passou por uma reforma. Nenhuma placa da obra foi fixada. Nenhum custo divulgado. Muito menos que tipo de transação foi feita entre os proprietários e o poder público.

O prédio foi emprestado ou alugado ao Município ou ao Governo do estado? Por quanto? Quanto custou a reforma do prédio e quem pagou? Devia algum imposto? Houve negociação? São exemplos de perguntas simples e que devem ser bem esclarecidas pela prefeita.

Já a ‘usina dos Farias’, como é conhecida, teve a fachada de 18 metros tombada pela Fundação do Patrimônio Histórico e Artístico de Pernambuco (Fundarpe), após a Justiça ser acionada.

A intervenção do Município no terreno da usina Farias previa derrubar todo conjunto arquitetônico para construir uma avenida, que não é nenhuma prioridade para solucionar o já complicado trânsito de Surubim.

Qual a necessidade de se fazer uma avenida para ligar o bairro da Cabaceira à comunidade da Chã do Marinheiro? Alguém já enfrentou um engarrafamento entres essas duas localidades? Em época de verbas públicas tão escassas, essa avenida é mesmo uma prioridade para se melhorar o trânsito de Surubim?´

Quantos metros quadrados tem a área da ‘usina dos Farias’ incorporada ao projeto da avenida? Qual o custo da obra? Quanto foi pago em indenização aos proprietários? Devia algum imposto? O valor histórico do conjunto arquitetônico foi considerado na hora de se estabelecer o valor pago aos donos?

São outras perguntas que não podem ficar sem respostas. É elementar que as pessoas queiram saber quanto, como e onde cada real do dinheiro delas está sendo usado.  Pela estreita relação entre o familiar e o público, e em nome da credibilidade, a própria prefeita pode conversar com as pessoas sobre essas duas obras específicas, com naturalidade e transparência.

Vale lembrar que na eleição passada, Ana Célia Farias fez até vídeo hospitalizada para pedir votos. Agora, com saúde, não há nada que a impeça de gravar quantos vídeos quiser para esclarecer como está utilizando cada real do dinheiro do cidadão surubinense, sobretudo, nessas duas obras que envolvem o patrimônio da família dela.  

Leia: SURUBIM: De olho na reeleição, prefeita faz ‘operação botox’ nas praças e ruas da cidade

Da  Redação, e Fotos: Alberico Cassiano. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *