SURUBIM: Projeto malassombrado da prefeita assusta vereadores e não é votado. Se fosse, ela perderia por 7 X 4

O projeto da prefeita Ana Célia Farias (PSB) que criava um Programa de Parceria Público-Privado não deixou apenas o líder da oposição “assustado“. De tão malassombrado, o projeto deixou todos os vereadores assustados e foi devolvido à Prefeitura de Surubim sem sequer entrar em votação. Caso tivesse sido votado, a tendência seria a socialista passar o fim de ano com esta derrota imposta pelo plenário da Casa Euclides Mota.

O projeto previa um amplo programa de parcerias entre o Município e empresas da iniciativa privada. Os contratos nunca seriam inferior a R$ 10 milhões. Haveria cobrança de tarifas ao cidadão e a possibilidade de transferência de bens móveis e imóveis públicos para um ‘fundo’, não especificado. Também seriam criados cinco cargos de conselheiros, com salário de secretários.

“O projeto é muito amplo, não especifica nada, e como ninguém ler mesmo, o perigo é grande! Mas como advogado, leio atentamente cada entrelinha e afirmo que não podemos calar diante de tanto absurdo, dessa afronta às pessoas de bem de Surubim. É muita cara de pau, eu estou assustado!”, disse o vereador dr. Vavá, em entrevista ao Surubimeregiao.com.br.

A proposta de PPP da prefeita Ana Célia Farias não entrou em votação na Câmara de Vereadores, nesta quinta-feira (12), data da última sessão, antes do recesso do final do ano, e quando a Casa tem que zerar a pauta.

Os vereadores discutem a pauta antes do plenário. Diante da polêmica, um concesso entre líderes da oposição (dr Vavá) e situação (Bomba) retirou o projeto da pauta do último dia de votação. Com isso, a proposta é devolvida à prefeita de Surubim.

“Este projeto era um desmantelo para Surubim. Agora ele retorna à estaca zero, retorna à Prefeitura de Surubim. É uma demonstração que a oposição unida e articulada consegue muito. Impomos uma grade derrota à prefeita Ana Célia Farias. A oposição agradece aos vereadores Itamar e Geraldo Lira”, avaliou o lider, dr Vavá.

DERROTA – Caso o projeto de PPP de Ana Célia Farias tivesse sido votado, a prefeita teria sido derrotada. Como a proposta envolve questão financeira, precisaria ser aprovada por dois terços da Casa. Ou seja, dos treze votos da Câmara, a prefeita precisaria de nove para aprovar o projeto, mas só teria quatro garantidos.

O vereador Marcos de Biu Machado faltou à ultima sessão. O presidente Fabrício Brito, só votaria em caso de empate. Os vereadores Fred Lafayette, Luciano Medeiros (Bomba), Naílton do Jucá e Véia de Aprígio seriam favoráveis ao projeto.

Contrários, sete votos. Cinco da oposição, o que já a impediria de atingir os dois terços, mais dois reforços. A oposição já garantiria a derrota com os cinco votos dos vereadores Anabel Negromonte, Bana, Ivete do Sindicato, Micherlam do Mimoso e dr. Vavá. Ganharia com o reforço do voto dos vereadores Geraldo Lira e Itamar.

Com a decisão dos Vereadores, o projeto será devolvido ao Executivo, para esclarecimentos técnicos ou para que seja refeito. Conforme apurou nossa reportagem, caso volte como está, será derrotado em plenário.

Os vereadores só vão pensar em avaliar propostas de PPPs, caso sejam específicas, após ampla discussão, esclarecimentos técnicos e com todos os custos especificados. Em ano de eleição, é pouco provável que os parlamentares aprovem a ideia da prefeita de terceirizar serviços públicos e colocar o contribuinte para pagar a conta.

Da Redação, Alberico Cassiano.